As embalagens estão ganhando cada vez mais espaço como um dos elementos que influenciam na escolha do consumidor. Isso se dá ao fato de que existem muitos produtos com a mesma finalidade no mercado, competindo entre si.

Para ganhar esse espaço, as marcas precisam achar formas diferentes de se destacar e chamar atenção do público-alvo durante o curto tempo que eles olham as gôndolas do PDV. Também é necessário que a visão seja ampliada para além do design, pensando na funcionalidade da embalagem e como ela pode facilitar a rotina do consumidor.

A criação de uma embalagem tem como tópicos a avaliação de qual material pode conservar o produto da maneira correta, a facilidade de manuseio, o fornecimento e, até mesmo, a reciclagem desse material. Criar uma embalagem alicerçada nesses elementos é mostrar para o seu potencial cliente que você está preparado para atender as suas necessidades.

Para trazer esse tema à tona, separamos alguns materiais utilizados em embalagens e suas características.

Embalagem de vidro

As embalagens de vidro possuem alta durabilidade, resistência e capacidade de conservação, ajudando a manter os alimentos isolados, longe do ar ou outros elementos que podem danificar o produto.

O vidro é um material que não reage quimicamente e não absorve os compostos do produto, fazendo com que o alimento não sofra nenhuma mudança de sabor, cor, odor e qualidade. Possuindo vantagens visuais, ele facilita na visualização do consumidor em relação ao produto que está comprando, ajudando na decisão de compra. Esse material é totalmente reciclável, tornando-se uma opção sustentável e podendo ser reutilizado.

Como todo material, ele também tem algumas desvantagens: É um material pesado, possui um preço mais elevado, é difícil de ser manipulado e pode quebrar durante as etapas (envase, transporte, estocagem e ponto de venda).

Embalagem cartonada

A embalagem cartonada pode ter uma estrutura mais simples ou mais complexa, dependendo da sua aplicação. Pode ser uma simples caixa de cereais por exemplo, com a função de sobrembalagem, ou ainda uma embalagem com muitas camadas utilizada para proteger alimentos como leite, sucos, iogurtes, entre outros perecíveis, pois impossibilita qualquer entrada de odores e microrganismos no alimento e, enquanto fechada, podem ser armazenadas fora de freezers ou geladeiras.

Tetra Pak

Com embalagens compostas por três materiais: Papel-cartão, polietileno e folha de alumínio, a Tetra Pak tornou-se referência em embalagens.

O papel-cartão é considerado o principal material pois estabiliza e traz resistência para a embalagem. Já o polietileno protege contra a umidade e faz com que o papel cartão grude na folha de alumínio. E para finalizar, a folha de alumínio protege contra a luz e o oxigênio, ajudando a manter o sabor e valor nutricional do produto.

Embalagens flexíveis (Plástico)

As embalagens flexíveis são compostas por um tipo de filme plástico, geralmente formado por várias camadas, que pode ser impresso através de alguns processos gráficos como a Rotogravura, a Flexografia ou a Impressão Digital, onde a matriz de impressão recebe a tinta que é transferida para o filme flexível.

Elas são muito indicadas para produção de grande escala e são fabricadas de acordo com a preferência da empresa. Via de regra são transparentes ou totalmente personalizadas no que diz respeito ao visual.

PET

O PET é um tipo de resina termoplástica da família dos poliésteres utilizado como matéria prima em embalagens, fibra sintética e, quando combinado com fibra de vidro, é utilizado como resina para engenharia.

A garrafa PET é um produto 100% reciclável e de baixo custo de produção, mas precisam ser fabricados e descartados da maneira correta para não prejudicar o meio ambiente ou a saúde.

Embalagens de alumínio

Utilizadas para embalar produtos perecíveis que precisam ser transportados por longas distâncias, o alumínio pode ser encontrado em embalagens de refrigerantes, cervejas, sucos, entre outros.

O alumínio pode ser empregado de duas formas: Em folhas, para a fabricação de embalagens flexíveis, como a de refrescos em pó, ou em chapas, para a fabricação de latas para alimentos e bebidas. Ele auxilia na preservação das características dos produtos; é versátil, sendo utilizado na produção de embalagens em diversos formatos e é 100% reciclável.

As embalagens feitas com alumínio são muito resistentes mas, caso ocorra algum impacto, podem amassar, arranhar ou furar.

As embalagens feitas com alumínio são muito resistentes mas, caso ocorra algum impacto, podem amassar, arranhar ou furar, fazendo com que as mesmas sejam descartadas na hora da venda e gere prejuízo.

Embalagens mistas

Quando criada com mais de um material diferente, como vidro com metal ou madeira com papel, a embalagem torna-se mais difícil de ser reciclada, por isso é importante que as empresas optem e criem um programa de reciclagem, sempre lembrando de sua responsabilidade social para com as pessoas e o meio ambiente.

Embalagens bioplásticas

Não é surpresa para ninguém que o descarte de certos materiais utilizados em embalagens causam grande impacto ambiental. Com o intuito de diminuir esse impacto, alternativas sustentáveis vêm sendo desenvolvidas. Um exemplo é a embalagem bioplástica.

Criada a partir de vegetais como a batata, o milho e a mandioca, a embalagem possui características físicas semelhantes aos plásticos tradicionais. Durante a sua produção, as bactérias produzem ácido lático através do processo de fermentação desses vegetais. Isso faz com que ela torne-se uma embalagem reciclável, biocompatível e bioabsorvível. Quando descartada corretamente, transforma-se em substâncias inofensivas que são deterioradas pela água.

Vale lembrar que as embalagens bioplasticas ainda possuem algumas limitações técnicas, principalmente em relação ao shelf life do produto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *