E se os super-heróis fossem patrocinados por marcas famosas?

“Imagine se um dia o capitalismo chegasse a tal ponto, onde as grandes marcas resolvessem patrocinar até mesmo os super-heróis. Como isso influenciaria as suas imagens? Partindo dessa hipótese, resolvi experimentar com alguns personagens para visualizar qual seria o resultado dessa ideia.”

É desta maneira que o designer baseado em Milão Roberto Vergati Santos apresenta a série Sponsored Heroes, que insere logotipos de marcas famosas no uniforme e acessórios de Batman, The Flash, Super-Homem, Capitão América, Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Hulk, Homem de Ferro, Surfista Prateado, Galactus, Wolverine e Jubileu.

Não deixa de ser bizarro ver o logo da Nike substituindo o morcego no uniforme de Batman, por exemplo. Por outro lado, também não é lá tão surpreendente ver a armadura do Homem de Ferro com o M de McDonalds ou os touros de Red Bull no peito do The Flash. Wolverine com um cinto da Adidas? Algumas pessoas vão precisar de um tempo para se refazer do choque.

super3.jpg.pagespeed.ce.xprZpFfA-G super2.jpg.pagespeed.ce.IWKgymnxe6 super1.jpg.pagespeed.ce.8R2CZfkaSv
Para ver a série completa de Sponsored Heroes, basta clicar aqui.

Fonte: Brainstorm9

 

A Tendência Flawsome – Onde as marcas são humanas, transparentes e assumem os erros

Segundo o site da empresa de tendências de consumo, Trend Watching, FLAWSOME é uma tendência, onde as marcas que assumem os erros, mostram transparência, empatia, generosidade, humildade, flexibilidade, maturidade, humor, são as marcas que os consumidores tem abraçado mais.

Além disso, existe outras duas “tendências” que movem o FLAWSOME, a primeira é a Human Brands, que nada mais é do que a marca assumir uma personalidade, os consumidores estão cada vez mais focados nas marcas que assumem uma atitude e um comportamento. E a segunda éTransparency Triumph (Triunfo da transparência) existe muitas informações e índices de satisfação disponíveis na internet e os consumidores tem acesso a tudo isso, ou seja, a transparência é imposta, e as marcas precisam aprender a trabalhar com isso.

Ok. Depois de toda essa explicação técnica, vamos dar dois exemplos reais de empresas que colocaram em pratica o FLAWSOME.

No começo do ano, os consumidores da Ruffles reclamaram na página do Facebook da marca sobre a quantidade de ar contida nos saquinhos da batata. A Ruffles criou um infográfico bem humorado explicando o porquê dor ar na embalagem do produto.

ruffles_saco_ar_infografico

Em dezembro de 2011, foi postado um vídeo no YouTube mostrando um entregador da FedEx arremessando, uma entrega que continha um monitor de computador. O vídeo bombou na internet e a FedEx respondeu imediatamente em post no blog Absolutely, Positively, Unacceptable, pedindo desculpas e dizendo que este vídeo seria utilizado para ensinar os colaboradores da empresa o que não deve ser feito.

Fonte: Plugcitários